Equipes de Operação em FPSO´s no Brasil- UM GARGALO IMINENTE

 

FPSO´s no Brasil- UM GARGALO IMINENTE

Introdução:

Um FPSO, como por exemplo essa imagem da P-58 da Petrobras, pode ser da própria empresa operadora ou um navio afretado para o desenvolvimento de um determinado campo de petróleo até que essa operadora tenha o seu.  Hoje em dia, segundo dados do site da ANP, existem 45 FPSO´s no Brasil, sendo 20 unidades próprias da Petrobras e 25 afretadas. Onde, além da Petrobras, existem as demais operadoras como a Shell, PetroRio Oil & Gas, Queiroz Galvão, Equinor Brasil, Chevron Frade e Total E&P do Brasil que também fazem seus afretamentos.

Mas será que essas empresas poderão operar no Brasil sem nenhuma restrição operacional ou de pessoal?

Conversão ou construção do Zero?

Conversão:

Um navio petroleiro já com muitos anos de viagens, pode ser convertido em um FPSO(Flotation, Production, Storage e Offloading) apenas fazendo algumas adaptações como a instalação de uma planta de processo(Production) e um sistema de transferência de petróleo  para outros navios petroleiros(Offloading). Esse processo de conversão costuma demorar cada vez menos tempo, a depender da tecnologia utilizada pelo estaleiro. Os custos envolvidos nesse processo são bastante altos, mas a capacitação do setor como um todo é premente conforme recomenda a revista Brasil Energia.

Construção do zero:

Uma instalação desse tipo, além do formato de um navio convencional,  também pode ser feito desde o inicio como o exemplo do FPSO Piranema Spirit, construído em fatias de pizza, sendo juntadas em uma estrutura em formato circular.

Piranema

 

 

 

 

 

Escreva seu comentário